entre todos

1º Festival de curtas-metragens
de direitos humanos

[ de 15 a 20 de maio no Centro Cultural São Paulo ]

“Onde começa a violência acaba o Entretodos”

Anúncios

intérpretes, explicadores

Na linha das novas profissões que surgem pelo mundo, achei bem interessante a proposta da National Association for Interpretation, que valoriza o patrimônio natural e cultural das comunidades locais através do estímulo à busca de lugares e histórias que no mais das vezes permanecem escondidos, desconhecidos delas mesmas. E o melhor é a produção de informação adaptável aos interesses dos mais diversos públicos.

narradores de javeEm sua Conferência anual, em março próximo, a NAI debaterá a difusão dessas técnicas visando o desenvolvimento de um turismo histórico sustentável, que estimule e beneficie as economias locais.

Não sei porque, mas lembrei do delicioso filme Narradores de Javé.

mal traçadas linhas

wsalles“A alta burguesia é caricata.”

Walter Salles, cineasta, que reconhece ser originário dessa classe social, mas ressalta ter começado vários roteiros de filmes sobre ela e acabou não levando adiante por julgar que careciam de nível de complexidade necessária para ultrapassar o patamar da caricatura. (Folha de SP)

virando gente

Dizem os historiadores que quanto mais avançamos no futuro mais nos aproximamos do passado, e não se trata de nenhuma lei do eterno retorno ou coisa parecida. Ocorre que quanto mais a arqueologia e a paleoantropologia aprimoram técnicas e instrumentos de suas pesquisas, melhor decifram as pistas sobre de onde viemos e como nos tornamos o que somos: esses esquisitos e imponderáveis seres humanos.

Becoming Human é um dos mais interessantes documentários interativos que já vi, indicado para quem quer se atualizar no paciente estudo de nossas origens. Não é uma historinha ao estilo Alegoria da Criação cuja função é apaziguar consciências, mas sim de situar as descobertas no longo e tumultuado trajeto/processo que nos trouxe até aqui.

lucy1.jpg

Agora, duro mesmo neste cenário é escolher por qual montanha começar a escavar.

lógica proustiana

little miss sunshine“Cada qual considera claras as idéias que estão
no mesmo grau de confusão que as suas”
– Proust

A frase vem da wikiquote inspirada no divertido filme Little Miss Sunshine, que assisti no último feriado. Uma bem dosada mistura de crítica à sociedade do espetáculo, do sucesso, que me agradou pela capacidade de alternar emoções e absurdos dentro de um roteiro simples e barato, onde todos trabalham bem. Valeu.

a onda e a barca

Vem aí o documentário que inaugura um novo modo de fazer campanha política em tempos globalizados: An inconvenient truthUma verdade inconveniente.

verdadeconveniente.jpg

Dífícil imaginar a diferença do mundo hoje se Al Gore tivesse ocupado o lugar que ficou com Bush. Improvável que ele detivesse furacões, quando muito não os teria piorado. Guardadas as devidas proporções, esta comparação me levou a fazer outra, entre Lula e Alckmin. Partindo do pressuposto de que nenhum deles me convence, a quem prefiro fazer oposição?

Há sim distinções profundas entre os candidatos brasileiros, não só tomados parte a parte, como também contextualizados: o PSDB dominando São Paulo, Minas e boa parte do Congresso, tá de bom tamanho pra fazer oposição. Se Alckmim ganhasse, o governo ficaria insuportável, asfixiaria a já rala atmosfera política. Não sei se as pesquisas que colocam Lula 20 pontos à frente indicam uma intuição popular nesta direção ou outra coisa qualquer, mas estou nessa: dos males o menor, voto em Lula.

Agora, saindo da questão doméstica e voltando ao mundo maior, vale a pena ver o trailer, o site, comentários e principalmente o filme quando entrar em cartaz no mês que vem. Gostemos ou não, estamos na mesma barca e é preciso escolher o lado em que colocamos o peso do corpo (e das idéias) para tentar redirecioná-la.

Mantendo, claro, o espírito crítico de quem vê propaganda política bem produzida. Como lembra o influente ambientalista Bjørn Lomborg, Al Gore nos assusta com suas ondas de 6 metros invadindo os continentes, enquanto cientistas ligados às Nações Unidas dizem que a elevação do nível do mar atingirá 30 a 50 centímetros no próximo século.

gostei do título

porcos_ceu.jpg

A história é sobre Verônica, uma garota que tem TOC – Transtorno Obsessivo Compulsivo. Ela tem mania de tudo, de limpeza, de organização e de colecionar curiosidades. Uma mistura de Amelie Poulain, Lola (Corra Lola, corra) e de garotas “más” que sempre povoaram as festas da cidade baixa e da minha imaginação. Verônica que vive só, em cima de um bar (Beco203), cansada dessa vida decide por fim em tudo tomando belos comprimidos verdes. Esperando que o efeito venha, ela descobre em um jornal de bairro que mais tarde vai passar um programa na televisão sobre curiosidades. Neste momento acontece a virada do filme, onde a personagem precisa correr se quiser voltar atrás. – Everson Klein (roteirista).

Ainda não vi o filme, o roteiro parece ir do trágico-mórbido ao eutrapélico, mas ainda preciso confirmar se são estas palavras que quero dizer. Bóra assistir.

..^..

E vem aí 420 filmes em 14 dias da 30ª Mostra de Cinema de São Paulo.

30 mostra de cinema de sampa

Escolher os filmes  é um caso típico de transdisciplinar a dispersão. 😉