teorias

super-simetria

Anúncios

o que é nanotecnologia

Para quem ainda não tem a dimensão das vantagens e, principalmente, dos problemas trazidos pela nanotecnologia, vale a pena dar uma olhada nos vídeos produzidos pela RenanosomaRede de Pesquisa em Nanotecnologia, Sociedade e Meio Ambiente. Este abaixo é o primeiro da série O Futuro é Agora:

Mais vídeos nas páginas da Renanosoma (nota-se fácil que este nome foi dado por cientistas, não por publicitários) no YouTube e no GoogleVideos.

ornitóptero

A palavra do dia é Ornitóptero e a definição vem do site Gambiarra: “máquina voadora com asas, que imita aves ou insetos – remete ao tempo de sucessivas experimentações e falhas até culminar com a invenção do avião por um conhecido gambiarreiro”.

DelFly MicroA diferença para os aviões comuns é que nestes a elevação é gerada através de uma asa fixa. Ornitópteros funcionam como pássaros: o motor provoca o batimento das asas e estas criam as condições para voar.

Tem ornitóptero de todo tamanho, até um robozinho de apenas 3 gramas, 10 cms de asas que carrega uma microcâmera. A libélula-espiã voa em DelFly.

a construção do novo homem

Os genes vão ficar em segundo plano na palestra de terça-feira (01/04) que dá seqüência à programação cultural paralela à exposição Revolução Genômica, em cartaz no Pavilhão Armando de Arruda Pereira (a antiga sede do Prodam), no Parque do Ibirapuera, na cidade de São Paulo. Às 17h, Esper Abrão Cavalheiro, 58 anos, professor titular de neurologia experimental da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), fala sobre o tema “Tecnologias convergentes e a construção do novo homem”.  A entrada para a palestra, que ocorre no auditório do pavilhão da mostra, é gratuita. Recomenda-se fazer reserva para a apresentação por meio do site www.revolucaogenomica.com.br (clique no item “Atividades Culturais” e escolha o evento desejado). A programação cultural da mostra (veja o cronograma de eventos) está a cargo da revista Pesquisa FAPESP.

As chamadas tecnologias convergentes, um conceito formalmente forjado neste século 21, formam uma vasta área de interação da pesquisa em nanotecnologia, biotecnologia, tecnologia da informação e ciência cognitiva com potencial para alterar profundamente os mais variados aspectos da vida do ser humano no futuro próximo. Da junção de conhecimentos dessas disciplinas científicas, pode surgir um cenário que, em alguns casos, beira a ficção cientítica. Setores totalmente distintos, como a defesa militar, a saúde e o próprio limite físico do homem, poderão sofrer alterações radicais com a ascensão das tecnologias convergentes.

Ex-presidente do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) e atual assessor do Centro de Gestão e Estudos Estratégicos (CGEE), Cavalheiro no momento se dedica a fomentar o debate na sociedade brasileira sobre o impacto potencial das tecnologias convergentes. O neurocientista não quer que o país se mantenha à margem das discussões sobre a nova área.

não me achei

Eu sabia que a coisa ia longe na Classificação de Lineu para os seres vivos (taxonomia), mas Catarrinos, faça o favor, é demais. Será que ainda podemos sugerir alterações? Veja, na tabela abaixo, aonde nos situaram:

REINO: Animal
FILUM: Cordados
– – CLASE: Mamíferos
– – – ORDEN: Primates
– – – – SUBORDEN: Anthropoidea
– – – – – INFRAORDER: Catarrinos
– – – – – – SUPERFAMILIA: Hominoidea
– – – – – – – FAMILIA: Hominidae
– – – – – – – – GÉNERO: Homo
– – – – – – – – – ESPECIE: sapiens
– – – – – – – – – – SUBESPECIE: sapiens

Essa classificação lembra o que diz Edgar Morin, no prólogo do livro Amor, Poesia, Sabedoria:

“A idéia que se possa definir homo, dando-lhe a qualidade de sapiens, isto é, de um ser razoável e sábio, é uma idéia pouco razoável e pouco sábia. Homo é também demens : manifesta uma afectividade extrema, convulsiva, com paixões, cóleras, gritos, mudanças brutais de humor; traz em si uma fonte permanente de delírio; crê na virtude de sacrifícios sangrentos; dá corpo, existência, poder a mitos e deuses da sua imaginação. Há no ser humano um salão permanente de Ubris, a desmesura dos Gregos.

A loucura humana é fonte de ódio, crueldade, barbárie, cegueira. Mas sem as desordens da afectividade e as irrupções do imaginário, sem a loucura do impossível, não existiria entusiasmo, criação, invenção, amor, poesia.Do mesmo modo, o ser humano é um animal não só insuficiente em razão mas também dotado de sem-razão.

Todavia, temos necessidade de controlar homo demens para exercer um pensamento racional, argumentado, crítico, complexo. Temos necessidade de inibir, em nós, o que demens tem de mortífero, mesquinho, imbecil. Temos necessidade de sabedoria, que nos pede prudência, temperança, cortesia, desprendimento.”

inverno, um mês antes

greenpeaceA temperatura baixou terrivelmente em Sampa. Difícil é saber, em época de mudança climática, se esse frio é um indício do que vem por aí no inverno ou se já é todo o inverno que teremos no ano.

Antigamente, isto é, até o ano passado, em maio ocorria o conhecido veranico – uns poucos dias quentes lembrando verão. Será que teremos em junho?

Segundo o CPTEC (Centro de Previsão de Tempo e Estudos Climáticos), os impactos das mudanças incluem, “aumento na frequência de ondas de calor e diminuição de ondas de frio”. A ver. Brrrr.

exoplanetas telúricos

corotQue título, hem. Quase um trava-língua. Mas é assim que se chamam os planetas fora de nosso sistema solar em condições de abrigar vida semelhante a da Terra. E é atrás de planetas desse tipo que partirá do cosmódromo de Baïkonour, Cazasquistão, daqui uns dias, a primeira caravela estelar, batizada de CoRoT.

CoRoT é um satélite apelidado de caravela por carregar, mais do que sofisticados instrumentos, a expectativa de descobertas celestiais extraordinárias, comparáveis, na devida proporção, às da época das grandes navegações oceânicas, 500 anos atrás.

O satélite permitirá estudar a sismologia estelar (estrutura e evolução das estrelas) medindo variações na intensidade das luzes e vibrações emitidas pelas estrelas com precisão jamais alcançada. Aliada a longos períodos de medidas em cada região do céu, levará à detecção, pela primeira vez na história da humanidade, de planetas muito distantes. Estima-se que “CoRoT” descobrirá cerca de mil planetas gigantes do tipo de Júpiter e uma centena semelhantes à Terra.

Participação brasileira na missão “CoRoT”

O Instituto de Astronomia, Geofísica e Ciências Atmosféricas da USP coordena a participação brasileira na missão espacial “CoRoT”. Vários de seus docentes estão envolvidos em projetos observacionais com o satélite. É a primeira vez que os astrônomos brasileiros participam da construção de um satélite científico tendo os mesmos direitos que seus parceiros europeus na exploração dos dados colhidos.

corot